Milton S. Afonso

Diálogo com um humanitarista Adventista no Brasil

O Dr. Milton Soldam Afonso é um advogado da Igreja Adventista do Sétimo Dia e um empresário totalmente comprometido com o avanço da missão da igreja no mundo. Ele e sua família possuem mais de 20 companhias no Brasil, sendo a mais importante delas a Golden Cross, considerada como a maior companhia de seguro de saúde na América Latina e a quarta maior do mundo.

Ele também é proprietário de uma universidade moderna na cidade de São Paulo, com 14 faculdades incluindo odontologia e medicina.

A Golden Cross emprega 70.000 pessoas — dentre estas 18.000 médicos e 5.000 representantes do seguro de saúde — e provê assistência a mais de dois milhões de associados.

Em meio a seus negócios e viagens, o Dr. Milton Afonso gentilmente consentiu em responder a uma entrevista para Diálogo.

Por favor, conte-nos sobre as suas raízes.

Nasci na cidade de Nova Lima, próxima a Belo Horizonte, na região sudoeste do Brasil. Nosso lar era extremamente pobre. Cresci em um casebre, úmido e infecto, nos fundos de um lenheiro. Do ponto de vista humano, eu não tinha nenhum futuro e muito pouca esperança durante meus anos de infância. Contudo, recentemente completei 73 anos, graças à extraordinária bondade de Deus para comigo.

O senhor nasceu em um lar adventista?

Não. Minha mãe era espírita e meu pai se dizia católico, mas nunca ia à igreja.

Como o senhor conheceu a Igreja Adventista?

Da forma mais providencial! Meu pai costumava gastar o pouco dinheiro que ganhava em jogos, bebidas e cigarros. Todos os sábados pela manhã comprava um bilhete da loteria, na esperança de ficar rico. Certo sábado, o homem que vendia bilhetes em nossa vizinhança ofereceu um bilhete a um membro da Igreja Adventista do Sétimo Dia que se dirigia à igreja. Sua resposta foi: "Não gasto dinheiro com essas coisas, mas aqui está um convite para o senhor assistir a uma série de palestras religiosas." O vendedor de bilhetes deu o convite a meu pai. Minha mãe viu o convite e certa noite levou-me para a reunião evangelística realizada em uma sala de conferências.

Onde o senhor iniciou seus estudos académicos?

Após unir-se à Igreja Adventista do Sétimo Dia, minha mãe entendeu que a única forma de me ajudar a superar as influências negativas que me cercavam e fazer algo útil de minha vida era enviar-me a um internato adventista. Ela trabalhou duro para pagar meus estudos. Contudo, não muito tempo depois ela já não conseguia pagar as despesas do colégio e a administração da escola me chamou e disse que se não pagasse o montante devido seria suspenso das aulas e não poderia fazer os exames finais.

Desesperado, aos 14 anos de idade, decidi sair com os colportores estudantes.

Como foi sua experiência como um jovem vendedor de literatura adventista?

Quando era criança havia vendido doces e bolos nas ruas. Isso deu-me boa experiência com vendas. Vendi livros e revistas adventistas por cinco anos, enquanto prosseguia meus estudos. Com a bênção de Deus e dedicação tive muito êxito, a tal ponto de em 1941 ser o campeão de vendas no Brasil.

O que o senhor fez. posteriormente?

Meus anos de estudante no Colégio Adventista Brasileiro, em São Paulo, levaram-me a compreender as grandes possibilidades que se abriam para a minha vida. Após concluir o 2° Grau, ingressei no curso de advocacia. Durante meus estudos no curso superior, ajudei nove outros estudantes que necessitavam de ajuda.

O senhor continua ajudando jovens estudantes?

Hoje auxiliamos 8.000 estudantes em todos os níveis académicos, do pré-escolar à universidade. Muitos deles foram assistidos em nossos 12 lares para crianças.

Parece que o senhor possui um interesse especial pêlos órfãos.

Isto deve-se a minha própria experiência de pobreza e solidão na infância. Embora na verdade eu não fosse órfão, meus pais tinham muito pouco tempo para mim. Meu pai era um alcoólatra e minha mãe tinha que fazer grandes sacrifícios para nos sustentar. Chegou até a hipotecar sua máquina de costura para poder pagar parte de meus estudos no 1° Grau.

O senhor possui outros interesses?

Além da educação adventista, tenho preocupações com as condições de saúde de muitas pessoas na sociedade. Tendo visto os efeitos horríveis do fumo, das bebidas alcoólicas e outras drogas, considero de grande valor o aspecto de saúde da mensagem adventista. Deus nos deu instruções específicas sobre como viver vidas úteis e saudáveis. Pessoalmente e através de nossas companhias, buscamos partilhar esses conselhos práticos sobre saúde com pessoas que não pertencem a nossa igreja.

Qual é o segredo do seu sucesso?

Fé em Deus e disposição de lutar, sintonizado com Sua sabedoria. Integridade em todas as transações. Aprendi a confiar na providência de Deus e a avançar confiantemente. Muitas vezes ignoro os números do orçamento e nem mesmo sei quanto temos em caixa. Se Deus me inspira a fazer uma doação, faço-a, independente de qualquer outra situação. Deus é o Provedor. Eu nunca retenho e sempre recebo mais. Considerando o meu passado, posso ver como Deus me susteve e guiou em cada passo.

Um empresário cristão consegue tempo para estar em comunhão com Deus?

Um empresário cristão pode estar em comunhão com Deus em qualquer lugar, em meio a qualquer atividade. Naturalmente, qualquer empresário bem-sucedido que também é cristão enfrenta muitas tentações. Ele pode se tornar orgulhoso e presunçoso ao ser lisonjeado, elogiado em público, aparecer favoravelmente nas colunas sociais dos jornais, ser entrevistado na rádio e na TV. Mas se ele for ciente de sua dependência diária de Deus — de que tudo o que é e possui de fato pertencem a Ele — permanecerá humilde e em união com Ele.

O que o levou a comprar e a doar várias estações de rádio à Igreja?

Sou membro da Comissão da Rádio Mundial Adventista e fiquei entusiasmado ao saber dos milagres que Deus está operando em áreas não-peneüadas do mundo através da rádio. Por esses motivos decidi apoiar a ação missionária da Divisão Sul-Americana através do rádio.

Qual é a maior bênção em sua vida?

Ser um Adventista do Sétimo Dia, um membro desse maravilhoso povo remanescente e ter uma parte na pregação da última mensagem de salvação ao mundo.

Uma alegria especial?

Ter um lar, uma esposa querida, quatro filhos, nove netos...todos desfrutando boa saúde. Pertencer a um grupo de companhias que me possibilita ajudar a igreja em sua missão.

Uma tristeza?

Não possuir tempo suficiente para fazer tudo o que eu gostaria. É por esse motivo que estou sempre apressado!

Um sonho?

De um dia estar no reino de Deus juntamente com meus filhos, irmãos, familiares e amigos.

Uma filosofia de vida?

Estar constantemente conversando com Deus. Pedir-Lhe mais fé. Alimentar essa fé a fim de que possa transpor os obstáculos e problemas que enfrentamos e saber que Deus está a meu lado e de que um dia O verei face a face.

Seu texto preferido da Bíblia?

"Porque eu sei em quem tenho crido, e estou certo de que Ele é poderoso para guardar o meu depósito até aquele dia" (II Timóteo 1:12).

Entrevista concedida a Assad Bechara. Assad Bechara (D.Min., Andrews University) atua como diretor de Comunicação e de Deveres Cívicos e Liberdade Religiosa na Divisão Sul-Americana, em Brasília, Brasil.