Falando a verdade acerca da Verdade

“Que é a verdade?” (João 18:38). A pergunta de Pilatos a Jesus trata de um tópico de crucial e universal interesse. Eu gostaria de destacar seis verdades acerca da Verdade que a Escritura ensina.

Verdade no. 1: A verdade existe

A Bíblia identifica a Deus como “o Deus da verdade” (Salmo 31:5) e diz que Jesus veio à Terra “cheio de graça e verdade” (João 1:14).

Uma vez que a verdade constitui parte essencial da natureza de Deus; uma vez que é dito haver sido Jesus cheio de verdade e que Ele veio para nos revelar a verdade, podemos estar seguros de que a verdade existe. Há várias décadas esse ponto não precisava ser reafirmado. A existência da verdade absoluta era simplesmente admitida. Entretanto, vivemos agora numa época em que muitas pessoas crêem que tudo é relativo e que não existem absolutos morais. Seus princípios morais são extremamente flexíveis, e elas sustentam que aquilo que constitui verdade para uma pessoa pode não sê-lo para outra. Contudo, essa não é a perspectiva bíblica! A Bíblia apresenta a existência de verdades absolutas, as quais prosseguem sendo verdade quer se concorde com elas, quer não.

Pedi, certa vez, a um grupo de estudantes universitários que fechassem os olhos e apontassem na direção que pensavam ser o Norte. Orientei-os a que mantivessem o dedo estendido ao abrirem os olhos. O exercício demonstrou que nem todos possuíam boa noção de direção. Alguns estavam apontando para o Leste, outros para o Sul, e alguns para o Oeste. Eventualmente alguém apontava até mesmo para cima (afinal de contas, nos mapas, o Norte sempre está na parte de cima!). É claro que alguns indicaram corretamente o Norte. A verdade é que, não importa para onde os estudantes estivessem apontando, isso não mudava a verdadeira posição do Norte.

Um diretor de um centro aeronáutico disse-me certa vez que é possível os pilotos perderem a direção em que se encontra o solo durante o vôo. Em outras palavras, podem perder a noção do que está “em cima” e do que está “em baixo”! Essa condição é conhecida como desorientação espacial ou vertigem.

Obviamente essa seria uma condição perigosa para um piloto. Se ele pensar que está subindo quando na realidade está descendo, a aeronave se encontrará em grave perigo.

Essa condição mortífera por vezes experimentada pelos pilotos representa uma metáfora do mundo contemporâneo. O mundo em que vivemos sofre de vertigem moral. Muitas pessoas pensam que o “em cima” é “em baixo” e vice-versa. Vemos o resultado disso em termos de desintegração de nossas famílias e sociedade. Temos ouvido histórias aterradoras e inexprimíveis atrocidades à nossa volta. Parece que vivemos outra vez os dias do antigo Israel: “Naqueles dias não havia rei em Israel; cada um fazia o que lhe parecia correto” (Juízes 21:25).

Foi-me dito que o piloto necessita do horizonte como ponto de referência; se esse não estiver visível, ele precisará consultar os instrumentos de navegação, tais como indicador de posição ou o altímetro, para evitar a vertigem. Da mesma forma, os cristãos necessitam do ponto de referência da Palavra de Deus, de uma vida de oração e do conselho de companheiros e amigos cristãos, de modo a poderem viver a verdade.

Não importa o que diga o mundo contemporâneo, a verdade existe. Existe uma realidade objetiva. Existem imperativos morais absolutos, existem verdades eternas. A verdade de que Jesus morreu pelos seus e meus pecados. A verdade de que Ele está retornando. A verdade de que Ele possui um plano para cada vida. A verdade de que Deus deseja que cada um de nós seja parte de Sua família, a igreja, e que ajudemos os que se encontram em necessidade. Sim, a verdade existe.

Verdade no. 2: A verdade importa

A verdade não apenas existe, mas ela importa. Ela é importante, é vital, é significativa.

Em II Tessalonicenses 2:13, Paulo declara: “Deus escolheu vocês para serem salvos por meio da obra santificadora do Espírito e através da crença na verdade.” Também se afirma em II João 4: “Não tenho maior alegria do que ouvir que meus filhos estão andando na verdade.” Visto sermos salvos pela fé na verdade, porque Deus Se alegra quando nela andamos, torna-se evidente a sua importância.

Por vezes, sentimo-nos confusos quanto ao que realmente importa na vida. Distraímo-nos com esportes, filmes, negócios ou política. Contudo, o que importa mais que qualquer outra coisa é o modo como respondemos à verdade de Deus. Isso é mais importante que nossas notas na escola ou uma vaga na faculdade de Medicina ou Odontologia. A verdade realmente importa!

Você já notou que quando algo o afeta, pessoal e individualmente, isso logo se torna muito importante? Suponha que você esteja viajando e ouve pelo rádio a notícia de um desastre natural, como um terremoto ou temporal, que atingiu sua cidade. Imediatamente toda a sua atenção se volta para as informações. Deseja saber tudo o que é possível a respeito do desastre. Por quê? Porque isso lhe diz respeito. É por isso que a verdade é tão importante. Ela envolve a todos.

O modo como respondemos à verdade de Deus afeta a nossa qualidade de vida na Terra. Jesus disse: “Eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância” (João 10:10). A vida mais alegre, plena e significativa é aquela que se compromete com a verdade. Evidentemente, o modo como respondemos à verdade afeta não apenas a vida presente, mas igualmente a eternidade. Nossa resposta Àquele que corporifica a verdade determina se estaremos aptos a viver para sempre.

Por vezes, quando ocorre uma grande partida de futebol e as câmeras focalizam o ambiente festivo e os espectadores que se preparam para torcer, o comentarista diz: “Não existe nada melhor do que isso!” Ele parece sugerir que esse jogo é a coisa mais importante da face do planeta.

Com o devido respeito aos torcedores e comentaristas, devo afirmar que existe algo melhor, muito melhor. Quando você vive um relacionamento com Jesus Cristo, quando possui a plena certeza de Seu amor, quando está aguardando Seu retorno, quando se encontra casado com a esposa que Deus lhe destinou, quando sustenta nos braços o seu filhinho ou filhinha, aí sim, você pode afirmar: “Não existe nada melhor do que isso!” A verdade realmente importa!

Verdade no. 3: A verdade precisa ser buscada

A Bíblia afirma que a verdade precisa ser buscada. Ou seja, devemos inquirir sobre ela. Uma vez que a verdade é importante, seria bom se pudéssemos tê-la em nós mesmos, que ela fosse intrínseca ao ser humano. Que a verdade fosse tão natural e automática aos humanos quanto o é o nadar para os patos.

Mas a verdade não é inerente a nós, não se encontra embutida em nosso ser. Deus deseja que a busquemos diligente e honestamente. O Senhor declara: “Vocês Me buscarão e Me encontrarão, quando Me buscarem de todo o coração” (Jeremias 29:13). O que esse verso declara sobre como encontrar a Deus aplica-se igualmente na busca da verdade, uma de Suas mais notáveis qualidades. Em outras palavras, encontraremos a verdade quando a buscarmos de todo o coração.

Alguém poderia perguntar: “O que significa realmente buscar a verdade, procurá-la com todo o coração e alma?” Permita-me ilustrar com uma história. Há vários anos eu estava falando numa reunião campal, quando fiz algo que jamais deveria ter feito. Minha esposa e eu havíamos terminado o jantar na área de refeições, e estávamos entabulando uma conversa com outros adultos. Meu filho menor estava inquieto, de modo que lhe ordenei voltar ao nosso quarto no alojamento. Esse ficava a apenas um quarteirão, mas era necessário cruzar uma rua de grande movimento onde havia muitos turistas. Depois que minha esposa e eu terminamos a conversa e chegamos ao alojamento, não conseguimos encontrar nosso filho. Procuramos e chamamos, mas não pudemos encontrá-lo em parte alguma. Assim começamos a procurá-lo freneticamente por toda parte, correndo de volta ao acampamento, fazendo tudo o que podíamos para encontrar nosso filho. Utilizamos na busca toda energia que possuíamos. É isso que significa buscar algo de todo o coração! E que imensa alegria foi encontrar nosso filho!

Cada um de nós necessita examinar o próprio coração. O que estamos buscando na vida? O que estamos realmente focalizando em nossos estudos ou profissão? Deus nos chama para algo mais que apenas uma carreira de sucesso. Ele deseja que nos comprometamos com a busca da verdade.

Verdade no. 4: A verdade é uma Pessoa

O quarto princípio afirmado pela Bíblia acerca da verdade é este: A verdade encontra-se entretecida numa Pessoa e flui através dela. Ou seja, a verdade não constitui apenas um conjunto de princípios, não meramente um certo grupo de doutrinas escriturísticas. Em vez disso, a verdade é encontrada numa Pessoa. Observe João 14:6: “Eu Sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por Mim.”

Ocasionalmente presto serviços de aconselhamento pré-marital. Por vezes alguns casais desejam certificar-se de que todos os detalhes de sua nova vida estejam prontos antes do casamento; de que se encontram estáveis financeiramente, de que possuem bons empregos e uma boa casa para morar. Embora todos esses detalhes possuam alguma importância, nem de longe se comparam com o fato de saber que o casamento é primariamente um estado de permanente relacionamento com outra pessoa, de conexão às necessidades um do outro, e de tomar tempo para ouvir e ajudar o cônjuge.

Em termos simples, o cristão é um seguidor de Cristo. O cristão adventista é um seguidor de Cristo que aguarda Seu breve retorno. Um cristão adventista do sétimo dia é um seguidor de Jesus que O ama tão profundamente, a ponto de sentir a antecipação do Céu a cada sábado, enquanto aguarda a volta do Senhor.

O fato de a verdade encontrar-se envolta numa Pessoa não diminui a importância de se ensinar as Escrituras. Não minimiza a doutrina. Ao contrário, isso mostra que as verdades bíblicas irradiam dAquele que uma vez declarou ser, Ele mesmo, o caminho, a verdade e a vida.

Verdade no. 5: A verdade requer que tomemos uma posição

A Bíblia acentua o fato de que a verdade requer que tomemos uma posição. Em outras palavras, muitas vezes não é fácil viver a verdade. Em algumas ocasiões isso requer coragem e bravura.

Numa passagem marcante, Paulo exorta os efésios: “Para terminar: tornem-se cada vez mais fortes, vivendo unidos com o Senhor e recebendo a força do Seu grande poder. Vistam-se com toda a armadura que Deus dá a vocês, para ficarem firmes contra as armadilhas do Diabo... Assim, quando chegar o dia de enfrentarem as forças do mal, vocês poderão resistir aos ataques do inimigo e, depois de lutarem até o fim, vocês continuarão firmes, sem recuar. Portanto, estejam preparados. Usem a verdade como cinturão. Vistam-se com a couraça da justiça (Efésios 6:10-14).

Originalmente, o apóstolo Paulo utiliza quatro vezes a palavra permanecer nessa breve passagem. Ele nos desafia a permanecermos firmes. E havendo feito tudo, permanecer.

Às vezes, quando pensamos em permanecer na verdade, lembramo-nos dos heróis da Bíblia. Pessoas como Sadraque, Mesaque e Abedenego, que ousaram desafiar a ordem do rei para dobrarem seus joelhos e adorarem a imagem ao tocar a música (veja Daniel 3). Eles poderiam haver racionalizado sobre a questão de ajoelhar-se. Seu raciocínio poderia haver sido: “De que modo poderemos servir ao Senhor se formos executados?” Poderiam haver dito a si mesmos: “Sim, ajoelhar-nos-emos diante da estátua, mas no coração estaremos adorando apenas a Deus. O que há de errado nisso?” Mas eles não se envolveram em tão sofisticado comprometimento. Eles permaneceram ao lado da verdade. Eretos e firmes. Por essa razão, ao serem lançados na fornalha, não ficaram sozinhos.

Pensamos em Estêvão, que suplicou a Deus o perdão para seus agressores no mesmo momento em que as pedras o atingiam (veja Atos 7:59, 60). Pensamos em Pedro quando disse: “Mais importa obedecer a Deus do que aos homens”. (veja Atos 5:29). Essas histórias são maravilhosas e inspiradoras, mas também existem pessoas que nos dias atuais permanecem firmes ao lado da verdade.

Penso num jovem adventista que se graduou em direito e se candidatou a um emprego numa prestigiosa firma de advocacia. Ocorre que essa empresa estava representando os interesses de uma indústria do fumo. Ele poderia haver omitido seus pontos de vista acerca do cigarro de modo a obter o emprego, mas não o fez. Não conseguiu o emprego, mas teve a satisfação de permanecer ao lado da verdade.

O que ocorre com cada um de nós? Quando acossados pela tentação sexual, quando assediados pelo álcool, quando convidados a fazer qualquer coisa que afete nosso comprometimento com Jesus Cristo, o que respondemos? A única verdade digna de ser mantida é aquela que requer que permaneçamos.

Verdade no. 6: A verdade nos liberta

João 8:32 proclama: “Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”

Lembro-me de um importante momento em minha libertação. Esse ocorreu num grupo de oração no dormitório do Colégio de Geórgia-Cumberland, em outubro de 1975. Quando me ajoelhei junto a alguns amigos, compartilhando nossa fé e orando juntos, abri meu coração ao Senhor de uma forma nova e significativa, e então a paz e o amor de Jesus inundaram meu ser. Senti a presença de Deus como nunca dantes.

Se alguém perguntasse: “Você poderia descrever esse momento de conversão de um modo analítico e desapaixonado?”, a resposta é NÃO. Seria como alguém tentar descrever através de uma equação o que é estar enamorado de outra pessoa. Embora eu tenha experimentado muitas sensações nos dias e anos que se seguiram a esse meu encontro com o Senhor, uma das mais profundas é o sentimento de liberdade. Liberdade do fardo de pecado. Liberdade de hábitos e paixões que antes me escravizavam. Liberdade de tornar-me o tipo de pessoa que Deus deseja que eu seja. Liberdade para viver um relacionamento com meu Criador e Redentor.

A mesma experiência está à disposição de todos. Conforme Jesus declarou, você pode conhecer a verdade e essa lhe dará liberdade.

Greg A. King (Ph. D. pelo Union Theological Seminary) era chefe do Departamento de Religião do Pacific Union College quando escreveu este artigo. Atualmente trabalha como Professor de Estudos Bíblicos na Southern Adventist University. Seu endereço é: P. O. Box 370; Collegedale, Tennessee, 37315, EUA.