Milagres acontecem através das orações

Você acredita na oração? Já teve a alegria de ter suas orações atendidas?

A Bíblia fala muito sobre oração. De fato, seu conceito de vida é de confiar no Criador, de conversar com Ele e esperar por Suas respostas, de depender das Suas promessas e andar na certeza de que Ele as cumprirá. Uma vida sem oração é uma existência de instabilidade. Diz o apóstolo: “Peça-a, porém, com fé, não duvidando; pois aquele que duvida é semelhante a onda do mar, que é sublevada e agitada pelo vento.” (Tiago 1:6).

Segunda-feira, 8 de maio de 2000. Meu marido Joshua e eu estávamos entre os 65 estudantes qualificados para realizar a Prova de Admissão Doutoral em Educação na Universidade das Filipinas. Sentamo-nos à espera de um funcionário que viria dar-nos instruções sobre a prova. Justamente antes de recebermos os papéis da prova, o funcionário mostrou-nos a realidade que nos esperava. “Olhem ao seu redor”, ele disse. “Aqui temos 65 pessoas, mas somente 21 serão aprovadas. Assim, vejam que entre vocês apenas alguns serão aceitos!” Um gemido de desesperança pôde ser ouvido ao redor. Joshua olhou-me e tudo o que disse foi: “Line, ore. Apenas ore!”

Ambos curvamos nossas frontes e oramos em silêncio. Esse não era o momento de nos desesperarmos. Era tempo de apegar-nos às promessas de Deus, “Pelo que eu vos digo: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se-vos-á” (Lucas 11:9). Orei em meu coração com tal certeza, como se estivesse falando pessoalmente com Deus: “Meu Deus, estou pedindo e batendo em Sua porta. Por favor, abre-a para nós. Imploramos que nos conceda Tua misericórdia.”

Jesus não prometeu: “Se me pedirdes alguma coisa em meu nome, eu a farei”? (João 14:14). Então pedi conhecimento e sabedoria para que fôssemos capazes de fazer uma boa prova. Pedi que Deus segurasse minha mão e a guiasse para escrever as respostas corretas. Sim, e Ele esteve lá nos ajudando. Quando o resultado foi anunciado, 16 dos 65 candidatos passaram na prova. Dois deles éramos nós.

Então veio a matrícula. Fiquei chocada ao ver que as matérias mais importantes foram marcadas para os sábados. Conversei com o secretário acadêmico para ver sobre a possibilidade de fazer as matérias no segundo semestre, em dias de semana. “Não”, foi sua resposta. Por 10 anos esses cursos têm sido oferecidos aos sábados, e por ser uma tradição, era impossível mudar. Implorei-lhe, mas quanto mais suplicava, mais firme era sua negativa. “Não me será possível estudar nesta universidade”, disse eu tristemente. E chorando sai do seu escritório.

Joshua encontrou uma maneira melhor “Não se preocupe”, disse. “Através da oração, vamos deixar que o Senhor tome conta deste problema.” Depois de muita oração, redigi uma petição formal à universidade e aos professores dessas matérias. Quando o horário do segundo semestre foi publicado, fiquei muito feliz em ver que uma professora tinha mudado suas aulas do sábado para os dias de semana. Em classe ela disse, “Carol, a outra professora (a Dra. A) não quer mudar suas aulas para os dias da semana; então não sei o que você fará.” Bem, um passo de cada vez, pensei. Vamos orar outra vez. Não há nenhuma montanha que a oração, com fé no Deus vivo, não possa mover.

Alguns dias mais tarde, uma amiga me disse que ela quase perdeu as aulas da Dra. A. Fiquei surpresa. “Mas hoje não é sábado, e a Dra. A só dá aulas aos sábados.” “Eu não sei o que aconteceu”, minha amiga disse. “No último momento, a Dra. A. mudou suas aulas de sábado para um dia de semana.” Naturalmente eu sabia o que tinha acontecido. Meu Senhor deve-lhe ter falado sobre minha necessidade. Não é a oração a ferramenta mais poderosa nas mãos do cristão?

Como estudantes estrangeiros, foi-nos exigido que pagássemos o que universidade chamava de Fundo para Desenvolvimento da Educação, no valor de 500 dólares por estudante. Isso significava 1.000 dólares no total, quantia que estava além de nossas possibilidades. Imagine nosso desânimo quando nos disseram que essa era uma taxa obrigatória no começo de cada semestre (sete a oito semestres no total!). Outra vez oramos e escre-vemos uma carta pedindo isenção da taxa. Nossa petição se apoiava pela fé no Senhor que prometeu: “E mesmo agora sei que tudo quanto pedires a Deus, Deus te concederá.” (João 11:22). “Por isso vos digo que tudo o que pedirdes em oração, crede que o recebe-reis, e tê-lo-eis.” (Marcos 11:24). Uma fé viva faz com que as montanhas das adversidades desapareçam, ou pelo menos as torna suficientemente fáceis de encarar. Um dia depois que fizemos nossa petição, a universidade concedeu-nos a isenção por todos os se-mestres, até nos graduarmos.

Algumas semanas após nossa matrícula, percebemos que cada um de nós precisava de um computador para realizar pesquisas. A política de nosso patrocinador permitia um só computador para ambos, mas isso parecia impróprio para atender às nossas necessidades. Elaboramos um plano experimental : Eu usaria o computador das 18h até as 0h30 do dia seguinte, e Joshua o utilizava até às 6h. Isto aconteceu por uns três meses. Mas percebemos que esses horários não funcionavam bem. Comprometiam nossa saúde. Então o único meio que conhecíamos era levar nossa dificuldade ao Grande Solucionador de Problemas. Em Mateus 21:22 não está escrito: “E tudo o que pedirdes na oração, crendo, recebereis.”

Joshua então enviou um e-mail a seus amigos. Um velho amigo que ele não via desde os dias da faculdade, em 1985, respondeu no dia seguinte dizendo: “Um computador portátil está a caminho. Um amigo que viaja para as Filipinas o está levando, e você o receberá dentro de três dias.”

Uma lição importante que aprendi ao estudar numa universidade pública é que não podemos traçar nosso caminho sem dependência absoluta de Deus. Sem oração, somos cortados da fonte central de força e armazenamento de poder. Minha experiência ensinou-me que esse Deus sempre está presente para levantar-me quando estou por baixo. Ele sempre depara um meio de escape ao me ver embaraçada com problemas. Através de muitos mi-lagres, meu marido e eu fomos capazes de completar nossos programas doutorais. Nossa vida e ministério são um testemunho vivo do poder da oração e da fé no Deus vivo que nunca falha.

Caroline V. Katemba Tobing (Ph.D. pela Universidade do Filipinas, Campus Universitá-rio Diliman) é presidenta do Departamento de Línguas da Universidade Adventista da Indonésia, em Bandung, Indonésia. Seu e-mail: Ctobing@unai.edu

* Os textos bíblicos utilizados neste artigo são procedentes da Versão Revista e Atualizada por João Ferreira de Almeida, 2a Edição.