Casar ou viver juntos?

Minha namorada e eu temos um relacionamento estável. Uma vez que planejamos nos casar mais ou menos daqui a um ano, quando concluirmos nossos estudos superiores, estamos considerando as vantagens de morarmos juntos num apartamento, antes do casamento. Isso nos ajudará a economizar dinheiro, conhecermo-nos melhor um ao outro, e permitirá o fortalecimento de nosso compromisso mútuo. Alguns de nossos amigos nos falaram que essa não é uma atitude sábia. O que você acha?

Viver juntos sem a formalização de um contrato matrimonial pode parecer prático, especialmente quando existe o compromisso de se casar mais tarde.

Porém, existem várias desvantagens que você precisa considerar. Obviamente, precisa perguntar para sua namorada o que ela realmente acha da idéia. A maioria das mulheres considera o morar juntos com certa apreensão. Uma vez nessa relação, percebem que é transitória, instável e insegura. Com razão, muitas preferem a segurança do casamento desde o início. Estudos comparativos mostram que as mulheres que vivem junto com seus namorados sofrem mais descontentamento e depressão do que as casadas.

Vários estudos revelam maior incidência de violência doméstica contra mulheres e crianças, quando não há matrimônio legal. Além disso, quando o matrimônio se consolida, os casais que coabitaram durante o namoro experimentam níveis mais baixos de satisfação durante os primeiros anos de casamento, do que aqueles que se casaram sem viver juntos anteriormente. Isso foi constatado num estudo pioneiro conduzido no Canadá nos anos 1980, por Robert Watson. Resultados consistentes foram apurados em estudos similares noutros lugares. Talvez o pesquisador mais ativo nesta área seja David Olsen, da Universidade de Minnesota, que tem realizado estudos contínuos com mais de 20 mil casais comprometidos e casados. Essas pesquisas mostram constantemente que os casais, que vivem separadamente antes do matrimônio, têm um nível mais alto de satisfação após ele. Enquanto isso, há estudos mostrando que casais que vivem juntos antes do casamento, apresentam níveis mais baixos de satisfação.

O matrimônio legal, em comparação com a coabitação, tem várias vantagens. Eis algumas:

1. Uma relação legal cria um compromisso público e particular, bem como altas expectativas no casal. Em troca, isso conduz a uma relação mais estável.

2. Quando as crises surgem, os casados exibem um nível particularmente alto de energia e vontade de solucionar o conflito. Isso porque o matrimônio é visto como compromisso permanente e estável.

3. O rompimento dos laços conjugais é feito apenas em último recurso. Uma separação, no caso de viver juntos, é muito mais fácil (cerca de metade dos casais que vivem juntos fora do casamento se separam). Isso é especialmente significativo para os casais cristãos que consideram o casamento como um compromisso para a vida.

4. O casamento é universalmente respeitado, enquanto que a coabitação carrega freqüentemente consigo um estigma social. A maioria das famílias e sociedades espera que os namorados se casem e não vivam simplesmente juntos. Esta opção certamente ocasiona alienação da família e muita dor para aqueles que os amam como pais, irmãos e outros parentes.

5. Quando um casamento se desfaz, a lei tem provisões para os filhos e o cônjuge. Para casais que vivem juntos, as promessas verbais prévias ou acordos são normalmente tidos como de nenhuma importância.

Se você e sua namorada forem cristãos crentes na Bíblia, você deveria levar em conta a elevada visão que Deus tem da união matrimonial desde o início. O próprio Jesus realizou Seu primeiro milagre para comemorar e dar Sua aprovação a um casamento em Caná. A despeito da aparente conveniência da coabitação, ela é na realidade um pobre substituto do casamento entre um homem e uma mulher que verdadeiramente se amam, e que permanecem castos até tomarem seus votos perante Deus e na presença da família e amigos. Você nunca se arrependerá disso.

Julian e Annette Melgosa são autores do livro To Couples (Madrid: Safeliz, 2004). Julian é reitor da Escola de Educação e Psicologia do Walla Walla College (WWC), e Annette trabalha como bibliotecária da faculdade, em College Place, Washington, EUA. E-mail do Prof. Julian: melgju@wwc.edu. E-mail de Annete: melgan@wwc.edu