EDITORIAL

Escapar da visão do túnel

Era uma manhã de primavera maravilhosa – céu azul, Sol, brisa fresca. O convite para sair ao ar livre tornou-se irresistível, e eu me vi vagando por um velho pomar de maçãs, não muito longe de casa. Embora as árvores fossem desgastadas e retorcidas, naquele dia seus galhos estavam cobertos com flores delicadas e havia um aroma suave flutuando no ar.

Foi lá no pomar que avistei algo. Era um amontoado de grama sob o qual parecia ter uma rede de túneis feita por uma toupeira. De fato, o pequeno animal trabalhou arduamente, embaixo da terra, elevando lentamente a superfície com grama.

De súbito, numa cena pouco frequente, a grama se abriu e apareceu uma cabeça pequena e empoeirada. O pequeno animal olhou ao redor, piscou e depois desapareceu em seu túnel, tão rapidamente quanto havia surgido.

Fiquei ali, olhando para aquele pequeno buraco irregular na grama e pensei:

Você, pobre toupeirinha. Aí está você – rastejando em túneis escuros, batendo nas rochas e raízes – enquanto aqui, apenas um pouco acima de você, um mundo maravilhoso a espera. Um mundo de Sol e brisa, de cor e fragrância, de novas perspectivas e oportunidades.

Agora, pense em sua realidade. É fácil demais passearmos pelos corredores familiares de nossa vida. Fazermos o que sempre fizemos. Experimentarmos novamente o que já tentamos, confinados à nossa zona de conforto. Presos pela rotina.

Às vezes, porém, devemos abandonar os túneis monótonos. Precisamos nos afastar do familiar. Devemos explorar novos territórios, vislumbrar novos horizontes. Devemos ampliar o invólucro de nossa vida. Por meio do profeta Isaías, Deus nos exorta: “Alargue o lugar de sua tenda, estenda bem as cortinas de sua tenda, não o impeça; estique suas cordas, firme suas estacas” (Isaías 54:2, NVI).

O que isso significa? Isso pode significar que você tenha que se arriscar para além do círculo de amizade estabelecido e se relacionar com alguém novo, talvez de uma etnia, cultura ou condição socioeconômica diferente. Isso pode significar que você tenha que separar alguns meses, ou talvez um ano, para servir em algum lugar em que existe uma necessidade especial. Se você estiver estudando, pode significar que você tenha que fazer um curso ou dois que não sejam necessários, fora de sua área principal de estudo. Se você é um profissional, pode sugerir que você adicione uma nova dimensão à carreira. Seja qual for sua situação, pode significar que você tenha que experimentar Deus de uma maneira que você nunca tenha feito antes.

Escapar da visão do túnel – túnel do pensamento, túnel da vida – é libertador. Esse escape abre novos rumos, novas oportunidades, novas avenidas para o serviço e satisfação. É uma parte do plano de Deus para a sua vida: “Mais elevado do que o sumo pensamento humano pode atingir, é o ideal de Deus para Seus filhos” (Ellen G. White, Educação, p. 18 ). Em última análise, é sua resposta ao convite divino, que nos chama das trevas para Sua maravilhosa luz (1 Pedro 2:9).

John Wesley Taylor V