Humberto M. Rasi

Diálogo com o fundador desta revista

Humberto M. Rasi teve uma carreira longa e frutífera como professor, editor, administrador educacional e escritor. Nascido em Buenos Aires, Argentina, no lar de um pastor adventista, ele completou seus estudos secundários e um programa pré-universitário de um ano na Universidade Adventista del Plata. Enquanto terminava sua graduação em Língua Espanhola e Literatura, ele começou sua carreira docente no Instituto Adventista Florida em Buenos Aires.

Ele e sua esposa, Julieta, mudaram se para os Estados Unidos em 1962. Nessa ocasião, ele atuou como tradutor e editor na Pacific Press Publishing Association.

Seu mestrado na Universidade San Jose State foi seguido por um Ph.D. na Universidade de Stanford, em Literatura Latino-americana, com ênfase em História da América Latina.

De 1969 a 1978, Rasi atuou sucessivamente como professor, chefe de departamento e diretor de estudos de pós-graduação na Universidade Andrews, com pausa de um ano para um pós-doutorado na Universidade Johns Hopkins, graças a uma bolsa de estudos do National Endowment for the Humanities.

Retornando à Pacific Press como editor-chefe de publicação internacional (1978-1986), ele supervisionou a produção de livros e revistas em várias línguas, incluindo a edição em espanhol de sete volumes do Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia.

Em 1987, Rasi se uniu à liderança da Associação Geral como diretor-associado do departamento de Educação. Em 1990, a igreja mundial o elegeu como diretor do departamento de Educação, cargo que ocupou até a aposentadoria em 2002. Durante sua liderança, o ministério da educação adventista tinha mais de 1,5 milhão de estudantes em 145 países ao redor do mundo. Entre suas iniciativas foi dada maior ênfase ao desenvolvimento da integração entre fé e ensino no nível básico universitário, bem como o lançamento de Diálogo, que se caracteriza por ser uma revista internacional voltada às necessidades intelectuais, espirituais e sociais dos estudantes adventistas que frequentam instituições de ensino superior, públicas e privadas, em todo o mundo.

As atividades acadêmicas de Rasi incluem a autoria de numerosas publicações em inglês e espanhol sobre religião, literatura e educação. Em reconhecimento às suas realizações profissionais, três universidades lhe concederam doutorados honorários. Em 2002, a Associação Geral reconheceu sua contribuição para a educação adventista, conferindo-lhe seu maior prêmio, a Medalha de Distinção.

Atualmente, Rasi continua a atuar como palestrante, publicar e dirigir projetos especiais relativos ao ensino superior e à apologética cristã.

A maior parte de sua vida profissional tem sido focada em educação e publicações. O que lhe atraiu para essas áreas?

Jesus escolheu vir a este mundo como um professor. Ele é meu modelo. Ser um agente no desenvolvimento de rapazes e moças no contexto da educação cristã tem sido um grande privilégio. Eu fui abençoado com vários excelentes professores que me ensinaram a pensar crítica e criativamente. Tentei transmitir isso aos meus alunos ao longo dos anos.

Nossa mente se expande à medida que a alimentamos com verdadeiras ideias de transformação de vida. Durante séculos, essas ideias têm sido difundidas principalmente por meio de livros e outras publicações. Pense no impacto positivo que as cópias impressas da Bíblia tiveram sobre a vida de milhões em todo o mundo. Por essas razões, sempre gostei de pesquisar e escrever, bem como de ajudar outros a compartilhar suas ideias com um público mais amplo através da página impressa. Meus dois avôs eram envolvidos em publicações. Sinto que a tinta de uma impressora funciona em minhas veias.

Nos últimos anos, os meios eletrônicos se tornaram outra importante fonte de informação. No entanto, é vital usar o discernimento como administrar a profusão de informações que eles trazem. Nosso objetivo como cristãos deve ser a sabedoria, a capacidade de escolher o melhor caminho para alcançar os mais altos objetivos na vida.

Que aspectos do seu trabalho na educação lhe deram mais satisfação?

Após trocar a sala de aula pela administração, eu me dediquei ao reforço da identidade e missão das escolas e universidades adventistas. Investi também no processo de credenciamento para elevar os padrões de qualidade de nossas ofertas acadêmicas e profissionais. Em 1987, em parceria com o Dr. George Akers, lançamos o Instituto de Ensino Cristão. Seu objetivo era ajudar os educadores adventistas a integrar a fé e os valores bíblicos às matérias que eles ensinavam. Depois de coordenar 40 seminários em vários países, conseguimos publicar um total de 38 volumes de Christ in the Classroom, uma série com mais de 700 ensaios em várias línguas (http://ict.adventist.org e http://fae.adventist.org).

Quais projetos de livros foram os favoritos?

Por 10 anos, servi como colaborador do Handbook of Latin American Studies, produzido pela Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos. Vários de meus artigos e ensaios foram publicados em revistas especializadas. Além disso, editei com o Dr. Fritz Guy a obra Meeting the Secular Mind: Some Adventist Perspectives (Universidade Andrews, 1985, 1987). Acredito que seja uma influência positiva entre os leitores atentos. Após minha aposentadoria, eu co-editei com o Dr. James Gibson o livro Mistérios da Criação (Casa Publicadora Brasileira, 2013), composto de 20 capítulos escritos por especialistas. Esse livro foi publicado originalmente em inglês e depois traduzido para o russo, português e espanhol. Também sou co-editor, com a Dra. Nancy Vyhmeister, do livro Always Prepared: Answers to Questions About Our Faith (Pacific Press, 2012), em processo de tradução em vários idiomas. Ambos os livros são úteis aos estudantes universitários e profissionais adventistas que desejam explicar e defender sua cosmovisão e crenças bíblico-cristãs.

Você está atualmente dirigindo uma corporação chamada Adventus. Quais são seus objetivos e desafios?

Adventus é uma corporação de treze universidades adventistas na América Latina apoiada pelo Departamento de Educação da Associação Geral. A corporação publica e distribui livros acadêmicos e profissionais escritos por autores adventistas em espanhol, bem como em inglês, francês e português. Com mais de 400 títulos, Adventus (www.adventus21.com) aborda a falta de livros didáticos em língua espanhola em nossas universidades e oferece oportunidades para a publicação de pesquisas realizadas por professores e acadêmicos.

Você publicou recentemente um livro sobre meio ambiente. Qual é a principal contribuição dessa obra?

Fiquei feliz em participar como co-editor, com os Drs. Stephen Dunbar e James Gibson, do livro Entrusted: Christians and Environmental Care. Acredito que esse é o primeiro livro adventista de referência que trata desse tema. Um grupo internacional de autores responde a 23 perguntas sobre nossa responsabilidade como mordomos de nossa casa terrena. As abordagens são diferenciadas, englobando as áreas bíblica, educacional, ética, científica e teológica (www.adventus21.com).

Ao longo dos anos, você mostrou interesse especial em adventistas que estudam em universidades públicas. Por que motivo?

Meus próprios estudos em universidades públicas e privadas têm me dado uma noção das oportunidades e riscos. Muitos estudantes adventistas abandonam sua fé e deixam nossa igreja. A perda dolorosa de jovens brilhantes me levou a recomendar em 1987 a criação de um Comitê de Trabalho na Associação Geral, Caupa (Comissão de Apoio a Universitários e Profissionais Adventistas). O comitê envolve os Ministérios de Capelania Adventista, o Departamento de Educação e o Ministério dos Jovens. Sua finalidade é fornecer orientação e apoio às iniciativas regionais que ministram a milhares de estudantes adventistas ao redor do mundo. Nossa igreja ama e precisa de cada um deles. Após a conclusão de seus estudos, eles podem participar da Rede de Profissionais Adventistas (http://apn.adventist.org) de forma gratuita. Essa rede é um registro global de profissionais adventistas que ajuda aqueles que oferecem empregos ou tarefas a localizar indivíduos preparados em qualquer área.

Este ano, Diálogo celebra o seu 25º ano de publicação. Por que você decidiu lançar esta revista?

Diálogo começou como parte do projeto da Caupa. Foi a primeira revista publicada em edições paralelas pela Associação Geral em inglês, francês, português e espanhol. Dirigida a estudantes universitários adventistas de faculdades e universidades públicas, a minha esperança era incentivá-los a melhor conhecerem, viverem e compartilharem sua fé, enquanto estudavam em um ambiente que às vezes é hostil às crenças bíblicas, valores e estilo de vida cristão. Por meio desta revista, queria lhes afirmar seu alto valor para nossa comunidade de fé e incentivá-los a ser embaixadores de Cristo nesses espaços em que futuros líderes mundiais estão sendo treinados. Acredito fortemente que a mensagem adventista é coerente e capaz de transformar vidas. Ela pode ser apresentada de forma eloquente e sem receios. Como primeiro editor-executivo de Diálogo (1991-2005) e editor-chefe (1989-2007), lembro-me das longas horas dedicadas à esta publicação como um investimento rentável. A maioria das novas revistas tem vida curta. Estamos muito satisfeitos em ver que Diálogo tem neste momento atingido a idade média de seus leitores atuais: 25 anos. E alguns de seus artigos foram citados em publicações acadêmicas.

Você pode nos contar algo sobre sua família?

Julieta e eu fomos abençoados com duas crianças, que agora são profissionais cristãos e bons pais. Nosso filho, Leroy, é cirurgião ortopédico. Nossa filha, Sylvia, é doutora em linguística, professora universitária e diretora de departamento. Temos três netas!

Você parece ter uma vida muito ocupada. Posso lhe perguntar se você tem algum hobby?

Certamente tenho! Tocar piano e ouvir boa música. Quando jovem, cantava em corais e quartetos masculinos, e dirigia grupos musicais. Minha esposa e eu tínhamos interesse em viagens culturais e tivemos o privilégio de visitar e fotografar locais históricos nas Américas, Ásia, Europa e Oriente Médio. Eu também tento manter-me atualizado com questões relacionadas com a geologia e paleontologia, e tenho uma pequena coleção de fósseis.

Como você se mantém saudável e ativo em sua aposentadoria?

Eu fui uma criança doente, mas Deus milagrosamente restaurou minha saúde e me protegeu no percurso de minha jornada. Meus pais me deram um exemplo vivo e sábios conselhos sobre princípios bíblicos e estilo de vida. Uma dieta baseada em vegetais, exercício físico diário e muita água ajudam a manter a saúde física. A amizade com Deus, estar contente com o que tenho e ajudar os outros contribuem para uma visão positiva da vida. E, certamente, ter uma boa e solidária esposa como Julieta é o melhor de tudo!

Que conselho você gostaria de oferecer aos nossos leitores em todo o mundo?

A fé e o estilo de vida adventista constituem uma força dinâmica e viva que pode transformar pessoas e comunidades para o bem. Valorize ambos. Se você é um estudante universitário, como tal você faz parte de uma minoria privilegiada – apenas cerca de 1% da população global. Faça o melhor com sua oportunidade. Deus lhe deu muitos talentos, e Ele o colocou em seu campus universitário com um duplo objetivo: ser Seu representante especial e se preparar para uma vida de serviço generoso. Cumpra sua missão! Coloque diariamente Cristo e Seus ensinamentos no centro de sua vida. Ele promete ser seu amigo e guia fiel (Provérbios 3:5-7). Estabelecendo prioridades e objetivos claros, você será bem-sucedido!

Sylvia Gregorutti Rasi (Ph.D., Universidade de Georgetown) é especialista em linguística aplicada (sociolinguística). Ela preside o Departamento de Línguas Modernas do Pacific Union College, onde é professora de italiano e espanhol. Enquanto era estudante universitária, ela contribuiu com artigos e entrevistas à Diálogo. E-mail: srasi@puc.edu

Humberto Rasi: hmrasi@gmail.com