Margaret C. Ashby

Diálogo com uma destacada funcionária adventista do serviço de correios de Barbados

Ela jamais poderia imaginar que um dia seria chamada para servir ao país em uma posição de alto escalão. Margaret C. Ashby é uma respeitada e reconhecida funcionária pública que atua na alta administração do serviço de correios de Barbados.

Nascida em um lar adventista, Ashby sentia satisfação em pertencer à igreja em um país em que 6% da população é adventista. No entanto, quando jovem, afastou-se de Deus. Esses tempos conturbados lhe ensinaram sobre um Deus que foi muito paciente com ela. Após longo período afastada, ela voltou para a igreja.

Seu novo relacionamento com Deus teve impacto em sua vida pessoal e profissional. Sua atuação na empresa de correios, que começara em 1977, assumiu uma nova perspectiva. Depois de anos de um trabalho aparentemente imperceptível, Deus a impressionou a voltar a estudar. Ela iniciou os estudos mesmo sem acreditar em sua capacidade, principalmente na área de matemática, matéria imprescindível para o campo de estudos que havia escolhido. Com o auxílio divino, ela obteve seu bacharelado em ciência da computação e gerenciamento, e fez um mestrado em gestão de recursos naturais e mudanças climáticas.

Deus tem lhe dado muitas oportunidades em seu país e em âmbito internacional. Desde outubro de 2012, Ashby é assessora do chefe geral dos correios de Barbados. Além disso, representa seu país como integrante oficial do comitê da União Postal Universal, uma agência especializada das Nações Unidas. Ashby é casada com Michael e tem duas filhas, Lisa e Lana.

Ela é líder do departamento de Ministério Pessoal na igreja adventista que frequenta em Barbados.

Margaret, conte-nos um pouco sobre o início de sua carreira na empresa de correios de Barbados.

Eu acabara de me formar no ensino médio. Não tinha grandes sonhos porque minha capacidade de aprendizado era lenta. Isso era um obstáculo real para conseguir sucesso em qualquer área. Nessa época, comecei a trabalhar nos correios. Depois de mais de 30 anos, encontrava-me no mesmo cargo que assumi quando ingressei na empresa na área de atendimento ao cliente. Não houve qualquer promoção, e eu não visualizava possibilidades de crescimento.

Você ocupa agora uma das mais altas posições na empresa. Como isso aconteceu?

Deus fez algo especial por mim. Eu já era casada e tinha duas meninas, mas Deus revelou de maneira clara que eu precisava voltar a estudar. Confesso que isso foi um pouco demais para mim. Sentia medo da matemática, disciplina obrigatória para a área de minha escolha. Além disso, minha autoestima não era particularmente elevada. Eu também havia me afastado de Deus por certo tempo. Por isso minha fé nEle era fraca. No entanto, ficou claro que Deus queria que eu retornasse aos estudos e que Ele tinha um plano para mim.

Representando os interesses de seu país sobre assuntos postais, em uma sessão plenária na União Postal Universal.

Você se graduou em ciência da computação e gerenciamento. O que aconteceu com o seu medo da matemática?

Para retornar aos estudos, precisava ser aprovada em um exame que exigia conhecimentos avançados em matemática. Não achava que fosse possível passar nessa prova. Mas Deus me dirigiu para um livro de matemática que eu tinha em casa. O estudo daquele livro me ajudou. Mas durante o exame, sem olhar para cada uma das questões, detive-me na complexidade da prova como um todo. Olhei para o papel e tive certeza de que eu iria falhar. Não conseguia imaginar como resolver as questões. Então, antes dos primeiros 15 minutos de exame, peguei meus documentos e estava pronta para entregar a prova em branco. Quando me levantei para sair, senti uma pressão nos joelhos e voltei a me sentar na carteira. Deus me perguntou: “Onde você vai? Olhe para as questões mais uma vez, não olhe para o quadro geral. Prossiga pouco a pouco.” Fiz isso e consegui resolver todas as questões. Quando terminei e saí da sala, compartilhei minhas respostas com um colega, com a certeza de que havia errado tudo. Mas ele disse: “Estas respostas estão corretas!”

Então, qual foi o resultado do exame?

Primeiro, eles perderam minha folha de respostas. Sabiam que eu havia concluído o exame, mas não conseguiam achar minha folha de respostas. Após três semanas, encontraram-na. Em seguida, após muitas semanas, eu ainda estava à espera do resultado. Uma noite, quando me dirigia à aula, ouvi a voz da professora responsável pelo exame. Eu não podia esperar mais. Com um ímpeto completamente incomum para mim, fui até a professora. Entrei em uma sala com uns 30 alunos e perguntei para ela sobre meu desempenho no exame. Ela disse: “Não há razão para se preocupar, Margaret, você tirou B.” Imediatamente, respondi: “Isso é impossível!” Toda a classe riu.

Você acha que Deus quis ensinar-lhe algo por meio de seu medo de matemática e da baixa autoestima?

Sim, Deus queria me mostrar que não há nada muito difícil para Ele. Na mesma noite, enquanto saía de carro do campus, ouvi claramente uma voz, vinda do banco detrás, dizer-me: “Margaret, quando você vai confiar em mim?” Olhei para trás, mas não havia ninguém. Percebi que Deus se interessava por mim e que o sucesso estava disponível mesmo para alguém que aprendia tão lentamente quanto eu.

Você aprendeu bem suas lições, pois tem contribuído com projetos para o fortalecimento da autoestima.

Acredito que melhorei nesse aspecto. Pediram-me para contribuir com o treinamento nas áreas de autoestima e atendimento ao cliente durante um curso oferecido recentemente para novos funcionários dos correios. Foi uma experiência gratificante, pois tive a oportunidade de contar minha história e falar o que creio que Deus pode fazer quando reconhecemos que precisamos de ajuda.

Como eles reagiram quando você falou sobre sua fé?

A Igreja Adventista é bem conhecida em Barbados, e a maioria da população é cristã. Não é difícil falar sobre essas questões.

Você foi chamada para trabalhar aos sábados?

Geralmente, em Barbados, os correios não prestam serviços aos fins de semana, exceto quando há feriado prolongado. No entanto, desde o início, falei sobre minhas crenças e fiquei firme em minha decisão de não trabalhar aos sábados. Meus colegas sempre respeitaram minha decisão. Eles sabem que podem contar comigo para tudo que for preciso, e eles apreciam minha posição.

Você chegou a uma função de lide-

rança. Como isso aconteceu?

Eu obtive sucesso na disputa por uma vaga como oficial sênior da Divisão Administrativa de Treinamento, setor governamental de formação de recursos humanos. Após 18 meses nessa função, eu poderia voltar para minha antiga função no posto do correio. Mas por meio de um processo seletivo, que me levou à posição que hoje ocupo, vi claramente a mão de Deus me conduzindo. Lembro-me, por exemplo, de que ao receber o comunicado informando que eu havia sido pré-selecionada para o cargo de assistente do chefe geral dos correios eu não estava em Barbados, pois havia ido assistir à formatura de minha filha na Universidade de Cambridge, na Inglaterra. Entrei em contato com a agência de recursos humanos do governo e informei-lhes de meu compromisso. Para minha surpresa, eles esperaram eu voltar da Inglaterra para fazer a entrevista. Quando anunciaram minha nomeação, fiquei maravilhada. Deus estava em todos os passos do caminho. E eu sabia que Ele sempre estaria comigo.

Você não ficou apenas nessa função, pois agora também representa seu país nas Nações Unidas.

Barbados atua na presidência de um dos comitês do Conselho de Administração, que é responsável pela cooperação e desenvolvimento no âmbito da União Postal Universal, uma agência especializada das Nações Unidas. As reuniões ocorrem duas vezes por ano com delegados de 192 países. Nesse comitê, lidamos com questões de desenvolvimento que são fundamentais para o crescimento do setor postal em uma escala internacional. É uma honra para Barbados liderar as discussões nessa área. Sinto-me muito privilegiada de poder servir não apenas ao meu país, mas também a outros países membros da União Postal Universal.

O que lhe interessa mais no serviço dos correios?

Inovação. Acredito que os correios têm grande potencial de inovar. Em certas localidades do mundo, esse também pode ser o aspecto mais desafiador. Os correios têm uma longa história. Podemos construir sobre essa fundação, priorizando a melhora de seu funcionamento, seguindo o desenvolvimento da economia e da sociedade. Gosto de pensar em marketing criativo, em estratégias que podem contribuir com a modernização desse sistema. Criatividade inovadora precisa de uma boa metodologia, e essa combinação é particularmente atrativa para mim.

Margaret Ashby em frente à sede da União Postal Universal, em Berna, Suíça.

Que mensagem final você gostaria de deixar aos leitores de Diálogo?

Primeiro, eu gostaria de dizer que ser adventista não significa isolamento. Estou muito feliz de ser adventista e ser capaz de servir ao governo de meu país. Deus precisa de adventistas em todos os caminhos da vida, e Ele promete Sua orientação para quem está disposto a seguir por onde Ele conduz. Em segundo lugar, gostaria de deixar uma mensagem para os estudantes. Não acho que seja por acaso que estou sendo entrevistada por uma revista voltada a universitários. A pior coisa que você pode fazer é se afastar de Deus enquanto prossegue com os estudos. Muitas vezes, você acredita que quanto mais tempo gasta com seus livros, melhor será para o seu aprendizado. Mas não é bem assim. A receita para o sucesso é ter certeza de que você está atuante na igreja e que está se dedicando ao máximo a essa responsabilidade. Além disso, é importante que a participação nas atividades regulares da igreja se torne um hábito. Se você aprende rápido, pode se destacar em seu próprio país. Contudo, não podemos prever onde Deus pode levá-lo se você decidir servi-Lo em primeiro lugar. Se você não tem facilidade de aprendizagem, mas Deus vem em primeiro lugar em sua vida, Ele pode colocá-lo em altas posições. Priorize seu envolvimento na igreja. Deus está esperando por você. Ele tem um plano especial para sua vida.

Lorena Mayer (Mestrado em Comunicação Internacional pela Universidade de Southern Queensland, Austrália) trabalha na União Postal Universal em Berna, Suíça. E-mail: lofimay@gmail.com

E-mail de Margaret C. Ashby: margaret_ashby@bps.bb